O último brasileiro que ainda respeitava as regras de isolamento social completo para evitar a contaminação pelo coronavírus foi declarado morto na tarde de ontem.

Gilmar Fernandes, no entanto, não contraiu nenhuma doença nem teve um mal súbito. Ele simplesmente foi esquecido por todos porque não sai de casa além do necessário — e hoje, com aplicativos de entrega de compras, o necessário para ele é nunca.

“Já fui a cinco batizados, três festas de 15 anos, 18 casamentos, oito enterros e não vi mais o Gilmar. Eu e uns amigos fomos na delegacia e descobrimos que pudemos declarar que ele estava morto. Agora vai todo mundo se reunir de novo para o enterro”, disse o amigo Leonardo Fagundes.