Depois de o ministro do STF Luís Roberto Barroso dizer que Bolsonaro apoia a ditadura e a tortura, o ministro Março Aurélio Mello veio com um pano do tamanho de um campo de futebol para passar sobre a questão. Ele disse: “É preciso deixar o presidente trabalhar”.

Mas pessoas próximas disseram que a frase foi mal entendida. Ele na verdade teria dito que é preciso deixar o presidente atrapalhar. Marco Aurélio, que já disse que só mordaça poderia calar Bolsonaro, na verdade estaria interessado em manter o caos institucional que deixa o Judiciário nacional mais politizado e mais forte. “Tem que manter isso aí”, teria dito.