Os quase 115 mil mortos, a Amazônia com recorde de desmatamento, as ameaças de golpe no STF, o aparelhamento da PF para salvar a si e aos filhos, o ataque à Ciência e à educação — Bolsonaro vem tentando esconder o desastre de seu pseudo-governo do resto do mundo mas sem sucesso.

Como o supermercado Carrefour que colocou guarda-sóis sobre uma vida humana perdida para que a musiquinha continuasse tocando e as caixas registradoras cantando, Bolsonaro quer ocultar o Sol de sua incompetência cruel com a peneira do fanatismo de seus apoiadores. Mas não dá certo.

Não tem guarda-sol que dê conta de esconder a destruição genocida de um projeto de país.

M Zorzanelli