O exército brasileiro está sendo usado por esse personagem triste, muito triste, que é o capitão Jair Bolsonaro, convidado a sair do exército nos anos 80 e tratado como “mau militar” por Ernesto Geisel.

Esse personagem chamado Jair Bolsonaro e os outros três personagens que são filhos dele são os comandantes da democracia do Brasil hoje e dos militares que se submetem a eles.

Jair foi paraquedista, Queiroz também. Mourão tem também o curso de mestre de salto e salto livre. Todos têm o curso de sobrevivência na selva.

O Exército Brasileiro, de tanta importância social, não deveria estar diminuído a isso. Deveria saber usar o conhecimento de selva para sair do meio desse monte de cipó de corrupção e encontrar a luz.