Os protestos contra a violência policial praticada contra negros nos Estados Unidos contaminaram os brasileiros e começaram a pipocar pelo país.

No Rio de Janeiro, militantes negros foram protestar contra a execução do menino João Pedro, de 14 anos, morto durante uma ação da Polícia Federal e da Core no Complexo do Alemão.

Os protestos são tão urgentes que já funcionam também para o futuro.

“Eu estou aqui agora, meio dia, protestando contra a surra que aquele companheiro ali do lado vai tomar às 14h quando acabar a manifestação e for para casa”, disse um militante.

“O que vai acontecer com ele é um absurdo. Ele vai tomar chutes na barriga e pisões na cabeça, depois vão apontar um rifle para ele, sendo que ele está desarmado”, completou.

Procurada, a polícia do RJ disse: “Se ao menos a gente soubesse dessas coisas para poder evitar”