O senador Flávio Bolsonaro finalmente aderiu ao “fique em casa”. Desde que a casa seja construída pela milícia. Reportagem do intercept mostrou que o Ministério Público o acusa de financiar imóveis da milícia com o dinheiro das rachadinhas.

Segundo a matéria, o dinheiro recebido por Fabrício Queiroz de parte dos salários de 85 funcionários era repassado a pessoas ligadas à milícia, que então financiavam a construção de imóveis em condomínios nas favelas. Cada unidade era vendida por cerca de cem mil reais. O MP encontrou três construtoras que seriam do miliciano Adriano da Nóbrega.

O cruzamento de dados bancários, segundo o MP, poderá mostrar que o dinheiro saiu do esquema de Flávio para os milicianos e que o senador lucraria com as transações. A reportagem completa está aqui.

Bolsonaro estaria preparando o lançamento de grandes obras de casas populares chamado Minha Milícia, Minha Vida. Algumas casas foram interditadas por apresentarem rachadinhas.