Sérgio Moro se demitiu em uma coletiva de imprensa cheia de revelações bombásticas na manhã de hoje. Disse que Bolsonaro queria colocar na chefia da Polícia Federal uma pessoa que pudesse controlar e que lhe passasse informações privilegiadas.

Ao dizer que o nível de interferência política e para benefício próprio e dos filhos de Bolsonaro foi algo que não aconteceu durante seus anos à frente da Lava Jato nos governos do PT, Moro assinou a condução coercitiva do presidente para fora do palácio do Planalto.

Segundo fontes ligadas ao ex-ministro, Moro teria descoberto só agora que Bolsonaro é o presidente do Brasil, por isso pediu demissão.

Sem a pensão ilícita que lhe foi prometida e sem poder retomar a carreira de juiz, Moro deverá trabalhar agora num lava-jato de verdade fazendo o que sabe fazer melhor: passar pano.