Em um pronunciamento alucinante em cadeia de televisão na noite de hoje, o ex-presidente em exercício Jair Bolsonaro voltou a minimizar a epidemia do coronavírus, que chamou de “gripezinha”, pediu que as escolas e empresas retomem as atividades e atacou a imprensa.

Perguntado, o coronavírus comentou que, apesar de ter parentes que moram dentro do Bolsonaro (embora ele negue), considera-o um “presidentinho”.

O presidente faz coro com empresários seus apoiadores como os responsáveis pelas redes de restaurantes Madero e Giraffas, que disseram que a economia não pode parar “por causa de 5 ou 7 mil mortes”.

Não é porque os restaurantes de empresários genocidas vão quebrar que não vamos salvar 7 mil pessoas, disse um consumidor.

Fica o recado do Sensacionalista: se você está sentindo dor de cabeça e mal estar, pare de assistir ao pronunciamento de Bolsonaro.