Brasília amanheceu envolvida por uma espessa nuvem de fumaça. Não se via nada parecido desde a grande queima de recibos da JBS feita em 2016 por Michel Temer.

Ambientalistas dizem que se trata da fumaça de uma queimada na cidade de Esplanada no sertão baiano. No lugar de árvores, o combustível da queimada foi um grande arquivo que havia ficado muito grande e estava incomodando autoridades.

O arquivo queimado teve dias melhores e chegou a ser tema de uma reunião solene na Alerj sob o comando de Flávio Bolsonaro. O presidente disse que o tom de suas declarações não estimulou esta queima especificamente e que a incineração de arquivos vai acalmar o mercado e beneficiar a economia.

“Arquivo bom é arquivo morto”, teria dito o presidente.