O ministro da Fazenda Paulo Guedes disse novamente que planeja criar o que chama de “imposto sobre o pecado”. A ideia é aumentar as taxas sobre álcool, tabaco e outras diversões que o pobre tem para esquecer por algum tempo como é oprimido pelos ricos.

Um especialista consultado pela reportagem disse que se os pecados fossem mesmo taxados, milionários e bilionários como Paulo Guedes não teriam dinheiro nem para comer.

Antes mesmo do imposto ser aprovado, pastores evangélicos estão processando Paulo Guedes por plágio.