Bolsonaro chocou até quem já estava acostumado com sua falta de sensibilidade e senso de humanidade na noite de ontem ao dizer a seguinte frase: “Cada vez mais, o índio é um ser humano igual a nós”.

O presidente, que já mediu o peso de ex-escravos quilombolas em “arrobas” e disse que não prestam nem para procriar, desceu mais um pouco na escada da desumanização de seus semelhantes.

Mas os índios repudiaram a fala. Não porque não se achem humanos, mas porque não querem compartilhar da mesma humanidade de Jair Bolsonaro.

Na mesma live, Bolsonaro recusou um retrato de Romero Britto em sua homenagem porque “não leva pintada de homem”.