Após o secretário da cultura de Jair Bolsonaro, Roberto Alvim, copiar um texto do ministro da Propaganda nazista Joseph Goebbels, o país espera atento por respostas.

Uma delas: como será que o brilhante e culto presidente Bolsonaro irá pronunciar o sobrenome alemão Goebbels? Depois de falar novaorquinis e se enrolar com frases simples, o país aguarda como sairá de sua boca o complicado sobrenome. Goubél? Gôbi? Gedel?

Nos bastidores, Bolsonaro já tenta passar o pano para Alvim como fez com o chefe da SECOM acusado de receber vantagem financeira de emissoras de TV. “Se o nazismo matou mesmo seis milhões de judeus, lá na frente a gente vê”, disse.