O ministro da educação Abraham Weintraub deu um tempo em suas acusações sem prova de que há plantações de drogas em universidades federais para cometer mais uma de suas agressões pesadas contra o Português.

Depois de escrever “haviam emendas”, “insitar” e “paralização”, Weintraub conseguiu escrever “imprecionante” em um tweet. O Português foi hospitalizado após mais esta agressão e respira por aparelhos. Ele já pensa em abandonar o país.

O corretor ortográfico do celular de Weintraub admitiu que não gosta do ministro.

Sua família, as línguas latinas, conseguiram uma liminar na justiça evitando que o ministro se aproxime dele. Grupos ligados aos cursos de Letras já pedem a criação da lei Manoel da Penha para punir com severidade novas agressões.