O novo presidente da Funarte, um indivíduo que aparentemente existe mas que nós do Sensacionalista só acreditamos se virmos ao vivo, disse que o “rock” ativa comportamentos no ser humano. A imprensa se concentrou apenas em coisas leves como drogas, aborto e satanismo, mas esqueceu que ele alertou mais ainda.

Segundo o aluno de Olavo de Carvalho, ouvir uma inocente rádio de “rock” no Spotify pode levar a uma estação de “rock contemporâneo” e ali ativar no indivíduo problemas mais graves como gostar de Coldplay e, em casos terminais, de Los Hermanos.

Segundo ele, o rock também ativa a roda de violão que ativa o sarau de poesia.

Ouvir rock também ativa a cerveja artesanal, que ativa a barbearia gourmet e o look de lenhador, também alertou.

Todo cuidado é pouco.