O governo Bolsonaro vai acabar com o DPVAT, seguro obrigatório que é acionado em casos de acidentes de trânsito. O imposto custa entre 16 e 85 reais e paga 450 mil indenizações por ano para pessoas que não poderiam custear tratamento médico em caso de acidentes.

Com a medida, o brasileiro que anda pelas ruas sem rumo fica desprotegido contra quem dirige o país.

Bolsonaro quer acabar com a cadeirinha de bebês, o exame toxicológico para motoristas de caminhão, os radares de velocidade e dobrar os pontos na CNH. A motivação é religiosa e nobre: ele quer que o brasileiro encontre Deus mais cedo.

Bolsonaro quer que o motorista passe a ter 40 pontos na CNH pois perdeu todos os pontos na sua por dirigir durante cinco meses na contramão. Outra proposta de mudança é o fim da exigência da cadeirinha para criança que, segundo fontes ligadas ao Planalto, teria sido uma exigência de Carluxo para poder assumir de vez sua posição de copiloto ao lado do pai.