Após o STF decidir que condenados em segunda instância não devem ficar presos, a liberdade foi concedida ao ex-presidente Lula nesta sexta-feira.

Mas logo ao sair da sede da PF em Curitiba, Lula foi preso novamente, em flagrante, por atravessar a rua fora da faixa.

Sergio Moro em pessoa efetuou a prisão, vestido de guardinha de trânsito (em julgado).

O curioso é que Lula foi solto e preso enquanto Dias Toffoli ainda lia seu voto.

O PT ficou aliviado com a nova prisão: “Assim não perdemos nossa única agenda para o país que é o Lula Livre”, disse Gleisi Hoffman.