O presidente Jair Bolsonaro vem extrapolando os limites de seu cargo praticamente todos os dias na última semana. Ele vem sentindo o bafo quente na nuca – as investigações sobre as mutretas de seu filho Flávio e o amigão Queiroz ficam cada vez mais perigosas para ele.

Bolsonaro desautorizou Moro no CADE, mexeu no COAF, segurou Pacote Anticrime, exonerou o chefe da PF no RJ, interferiu na Receita, apoiou decisão do Toffoli de parar investigação e, para coroar, demitiu hoje o técnico do Fluminense Fernando Diniz.

Bolsonaro diz que vai colocar o Queiroz para treinar o Fluminense. “O Queiroz sabe dessa qüestão do tocante a você evitar pagar a Justiça como no caso da série B que o Fluminense deve até hoje e nunca é cobrado. E ele também vai precisar dos ótimos advogados de que o clube dispõe, tá ok?”