O brasileiro começou a estocar lubrificante para a reforma tributária. Entre as medidas previstas está a volta da CMPF, que o governo passou a campanha inteira negando.

Paulo Guedes também quer acabar com as deduções de gastos com educação e saúde no Imposto de Renda. Justo num momento em que ninguém tem saúde de acompanhar esse governo.

A alegação é que só os mais ricos conseguem deduzir essas despesas. Foi descartada a hipótese de o estado dar saúde e educação para que ninguém precise pagar duas vezes por elas.