O médico que operou Jair Bolsonaro após a tentativa de assassinato que sofreu durante a campanha disse que a série de declarações incivilizadas, repugnantes, cafajestes e asquerosas do presidente pode ter ser explicada por um erro médico.

“O intestino grosso do presidente pode ter sido ligado de volta à faringe e o material que sai das cordas vocais dele para os microfones pode ser formado de fezes”, disse o médico.

Bolsonaro disse que sabe o destino do militante Fernando Santa Cruz, pai do presidente da OAB, que desapareceu em 1974 após ser preso pela Ditadura e deixou o filho de 2 anos para trás. Numa live cortando o cabelo, Bolsonaro disse que Santa Cruz seria um traidor que foi morto por colegas e negou os documentos da Comissão da Verdade.

Bolsonaro aproveitou e pediu para para cortar barba, cabelo, os direitos do trabalhador e as árvores da Amazônia.