Flávio Bolsonaro tentou impedir que a Justiça o investigue pela terceira vez. Há algumas semanas, seu sigilo bancário foi quebrado e cruzado com o sigilo do ex-motorista dos Bolsonaro, o Queiroz. Este último ainda não apareceu para prestar depoimento e pagou por uma cirurgia no hospital de 64 mil reais em dinheiro vivo. Queiroz já havia se escondido na favela de Rio das Pedras, onde fica o Escritório do Crime da milícia.

Segundo a PF, a barragem não vai segurar por muito tempo a lama do enriquecimento incompatível com a renda de Flávio e as relações dos Bolsonaros com assessores fantasmas e milicianos.

Os moradores do Palácio Alvorada já temem ficar desalojados caso a barragem estoure.