Investigação do Coaf mostrou que o senador eleito Flávio Bolsonaro empregou parentes de miliciano em tempo recorde no Rio.

Até novembro do ano passado a mãe e a mulher do capitão Adriano Magalhães da Nóbrega, tido pelo Ministério Público do Rio como o homem-forte do Escritório do Crime , organização suspeita do assassinato de Marielle Franco, foram lotadas no gabinete de Flávio, que era deputado estadual. Adriano seria amigo de Queiroz.

A Netflix já comprou os direitos para fazer a série. Ainda não se sabe se será uma comédia, um drama ou policial.

Com Renato Terra