A discussão sobre pena de morte no Brasil acabou menos de 24 horas depois de recomeçar. Após o deputado federal Eduardo Bolsonaro propor um plebiscito para a execução, começaram os debates sobre que crimes poderiam ter a pena. Quando um grupo propôs que receber salário de assessores poderia ser um deles, ninguém mais quis falar no assunto.

O filho de Bolsonaro foi até a Indonésia para visitar uma prisão do país. Ele defendeu a pena capital pra traficantes e crimes premeditados que resultassem em morte.

O presidente eleito, porém, disse que em seu governo o tema não será discutido. O assunto morreu. Literalmente.