Depois das denúncias de assédio sexual e estupro envolvendo o médium João de Deus, o próprio Deus resolveu agir. Em ação ajuizada no quinto juizado cível da capital, Deus disse que nunca deu permissão para que seu nome fosse usado.

“Temos visto muitos casos de uso indevido, resolvemos agir”, disse um porta voz.

“Esse homem não é de Deus não”, resumiu uma das vítimas.

O médium nega as acusações.

A partir de R$ 5 mensais você pode ajudar o Sensacionalista a pagar as suas despesas e fazer muito mais. Saiba como participar do nosso grupo de reunião de pauta no Telegram e acessar notícias exclusivas. Clique aqui e assine