A final da libertadores foi adianta mais uma vez por causa da violência das torcidas. Agora, o Brasil tem a escola sem partido e a Argentina, o futebol sem partida. A América Latina vai seguindo na vanguarda do atraso.

Sambistas já estão preocupados com a chegada do Samba Sem Partido Alto. Integrantes do governo de Bolsonaro dizem que há um certo exagero na reação ao movimento porque eles querem, sim, que a escola sirva para o debate. O debate sobre como o comunismo está abraçando o país.