O capitão da reserva Jair Bolsonaro passou por uma cirurgia de emergência anteontem e vai ficar fora da campanha de rua até o fim do primeiro turno. Os médicos recomendaram que ele não fale como forma de acelerar a recuperação, uma vez que falar pode causar acúmulo de gases no intestino.

O médico foi indicado imediatamente ao prêmio Nobel de Medicina pelo serviço inestimável prestado à humanidade. Ele também poderá receber o prêmio da Associação Brasileira de Marqueteiros como melhor estrategista desta eleição.

Ele está se comunicando por linguagem de sinais, mas só sabe dizer a frase “vou te fuzilar” com as mãos.

O tratamento de Bolsonaro teve um pequeno contratempo na manhã de hoje, após uma enfermeira confundir uma pasta com seu programa de governo com a bolsa de colostomia do candidato – ela acabou esvaziando a pasta e não a bolsa.