O fenômeno da Lua de sangue, ocorrido nesta noite, fez muitas pessoas apontarem as câmeras de seus celulares para o satélite natural da Terra.

O que pouca gente sabia – mas percebeu na hora – é que é impossível tirar uma foto nítida da Lua usando uma câmera de celular. É preciso uma lente teleobjetiva e um controle manual da exposição.

Isso não impediu, no entanto, que milhões de pessoas tentassem fotografá-la. Uma delas foi o engenheiro Marcos Sacramento, de Vitória, no Espírito Santo.

Marcos apontou a câmera para o horizonte e disparou. O resultado, um borrão branco no meio da tela, o deixou satisfeito. Ele postou a foto em suas redes sociais, orgulhoso.

“Minutos depois, eu fui marcado numa foto de um vizinho meu”, disse Marcos. “Ele havia tentado tirar uma foto da Lua de sangue usando o flash do celular mas apontou para o lado errado. O que saiu na foto dele fui eu segurando o celular. Fui bastante zoado”, admite.

M Zorzanelli