Após o primeiro caso em que um grupo de brasileiros assediou verbalmente em português uma mulher russa – e gravou e distribuiu a prova do assédio para o mundo –, pelo menos mais dois casos vieram a público da mesma forma. Homens na faixa dos 30 anos induzindo mulheres a dizer que fariam sexo com eles ou fazendo comentários sobre a cor da própria vulva.

Com a sequência de casos, mulheres russas estão tomando aulas de português para conseguir deixar suas casas. O kit padrão das russas hoje inclui um dicionário de português e um spray de pimenta, para serem usados em conjunto.

Na Rússia, onde o assédio não é crime e um alto funcionário do governo foi inocentado após ser denunciado por vários casos de assédio sexual há poucos dias, os brasileiros – alguns ameaçados de perder o emprego – podem encontrar um novo lar. O presidente Putin ofereceu uma condecoração aos seus “parças” brasileiros e os ofereceu um emprego de caçar homossexuais na praça Vermelha.