O ex-diretor da Dersa, empresa responsável pelas obras viárias do estado de São Paulo, e apontado como operador de propinas do PSDB Paulo Preto foi preso novamente hoje. Ele já havia sido encarcerado pela Lava Jato mas liberado pelo ministro do STF Gilmar Mendes. Ele foi denunciado pelo ministério público da Suíça por ter 113 milhões de reais em contas de origem questionável naquele país.

Paulo Preto pode ter sido o operador de propinas bilionárias durante os governos de José Serra e Geraldo Alckmin. Sua possível delação já fez aumentar o consumo de Rivotril na região Sul de São Paulo, mais especificamente nas vizinhanças do palácio dos Bandeirantes.

Tucanos de São Paulo fizeram o que fazem nessa hora: acenderam um sinal luminoso que projeta o rosto do ministro nos céus de São Paulo, sinal este que fica na cobertura do prédio em que mora o ex-presidente FHC em Higienópolis.