Uma pesquisa do Instituto Nupal (Núcleo de Pesquisas para a América Latina) apontou que o brasileiro preferiria encontrar seu parceiro (a) na cama com outro (a) a se confundir e levar ao prato um filé de peixe achando que é frango.

“Quando você dá aquela mordida feliz da vida e não só é peixe como tem espinha, você sente vontade de chorar. Muito pior ser traído pelo filé de frango no almoço do que pela mulher”, disse um pesquisado. Na maioria das vezes, o peixe é ressecado e sem gosto.

“Muitas pessoas veem o creme rosê do lado do peixe empanado e ainda assim preferem acreditar que é frango”, diz o responsável pela pesquisa. “As pessoas preferem se enganar a acreditar. Em 100% dos casos em que você chega tarde ao self service e encontra carne branca empanada, não é frango, é peixe que ninguém quis”.