A Fifa, organização máxima do futebol mundial, está preocupada com interferência de Deus sobre os resultados dos jogos às vésperas da Copa do Mundo da Rússia. Charles Miller, do departamento de Metafísica da entidade, vem monitorando jogadores que atribuem seus gols ao Senhor para saber se realmente está havendo alguma interferência esportiva no placar. A Fifa estuda alguma forma de punição, como suspensão e multa.

“Se Deus é por eles, quem será contra eles? A defesa adversária? Isso prejudica o fair play, porque é injusto, é trapaça”, afirmou Miller durante entrevista coletiva em Moscou. O dirigente também lembrou que Deus é ambidestro e está em todos os lugares do campo ao mesmo tempo. “Até gol de mão Ele já fez… E valeu!”, disse, referindo-se ao gol de Maradona, da Argentina, contra a Inglaterra nas quartas de final da Copa de 1986, conhecido como “La mano de Dios”, ou “A mão de Deus”.

Quem também está atenta à questão é a Wada, a Agência Mundial Antidoping. Eles já chamam o favorecimento de Deus a certos jogadores de “doping etéreo”. O problema é saber como identificar os abençoados. No momento, apenas a comemoração com os dedos para cima não confirma a trapaça esportiva, já que pode ser um engano do jogador. “Alguns deles são simplesmente talentosos e bons de pontaria mesmo, mas têm muita fé ao mesmo tempo”, disse Miller.