O PMDB, a fim de amenizar os desgastes sofridos pela legenda com a Lava Jato, convocou para setembro uma Convenção Nacional a fim de retomar um processo interno para mudar o nome da legenda para MDB (Movimento Democrático Brasileiro), abandonando a denominação de “partido” e retomando a sigla usada durante a ditadura militar.

O senador Romero Jucá, presidente do partido, defende a mudança de nome como uma forma de modernizar a legenda, sem referência a partidos políticos, principalmente porque os eleitores, em sua maioria, já acreditavam que o “P” da sigla fazia referência à propina.

A proposta foi avalizada por Michel Temer, que também está cogitando uma mudança em seu nome para o próximo semestre. Ele pretende retirar o Temer de seu nome para evitar trocadilhos com “temer”.

Romero Jucá, que também pretendia adotar apenas Romero, desistiu da ideia com medo de ser confundido com Romero Britto.