Reforma trabalhista é aprovada e trabalhador negociará se patrão usará manteiga ou KY

Depois de um dia de muita confusão no Senado, a reforma trabalhista foi aprovada. Foram 50 votos a favor e 26 contra. Os senadores ainda vão analisar emendas. Em seguida, o texto será enviado para sanção do presidente Temer. Mais cedo, senadoras contrárias a pontos da reforma chegaram a ocupar a mesa da casa. O governo já encomendou toneladas de carteiras de trabalho, que serão expostas em museus pelo país afora.

Trabalhadores e empresários passarão a poder negociar livremente vários pontos da relação trabalhista. Livremente desde que seja de acordo com o patrão. “Pelo menos eu ainda tenho emprego. O Temer pode perder o dele em breve. E o problema de ser Michel Temer é que você não pode nem reclamar de golpe”, disse um trabalhador.

Agora os trabalhadores poderão escolher se vão receber chibatadas pela manhã ou à noite.