A Polícia Federal prendeu na noite de ontem, Jacob Barata Filho, um dos maiores empresários do ramo de ônibus do Rio de Janeiro. Ele foi preso no aeroporto ao tentar embarcar para Portugal. Após investigação, encontraram-se indícios de que o empresário pagou milhões de reais em propina para políticos do Rio de Janeiro.

O juiz que determinou a prisão de Barata exigiu que o empresário cumpra pena em uma cela tão cheia quanto um de seus ônibus às 18h de um dia útil.

“É uma pena até bem branda, porque na cadeia, apesar da lotação, o espaço não balança que nem um ônibus. Pelo menos ele vai ficar apertado e em pé, mas sem cair”, disse o juiz no pedido de prisão.

Na decisão, o juiz determinou que caso o empresário peça para passar para o regime semi-aberto, futuramente, só poderá sair se for para trabalhar com função dupla de motorista e trocador de ônibus, além de ter turno dobrado todos os dias.