Sem uso, prefeitura estuda vender sambódromo para a Igreja Universal

O destino do sambódromo do Rio de Janeiro pode ser o mesmo de muitos cinemas de rua da cidade. A Liga das Escolas de Samba anuncia que não haverá desfile no ano que vem caso a prefeitura não volte atrás do corte de metade dos recursos das agremiações. Mas o Sambódromo não precisará ficar vazio por causa disso.

Um estudo  da prefeitura avaliou que o espaço poderá ser usado para o que seria o Templo de Jericó Glorificado. A praça da Apoteose seria transformada num grande púlpito para a pregação. 

Os desfiles não seriam abandonados. Já está previsto inclusive o enredo “A saga do bispo contra o beija flor do satanás na cidade do pecado”. 

A associação brasileira de tiozões condenou o fim do desfile, já que sem ele será impossível fazer a piada da Mangueira entrando.