Pessoas sãs querem processar Fachin por lhes fazer defender Reinaldo Azevedo

O STF divulgou a transcrição de uma conversa entre o jornalista Reinaldo Azevedo e Andreia Neves, irmã do senador afastado Aécio Neves. Na conversa, não há qualquer tipo ilícito penal – o que viola o inciso XIV do 5º artigo da Constituição Federal, que garante ao jornalista o direito do sigilo de fonte.

(Chegou-se a divulgar no site Buzzfeed que o vazamento teria saído do PGR de Rodrigo Janot, mas a Folha de S. Paulo apurou que a transcrição estava no pacote de grampos cujo sigilo foi extinto por Edson Fachin na semana passada).

A divulgação autorizada por Edson Fachin uniu jornalistas e comentaristas em defesa de Reinaldo Azevedo, que nas últimas semanas vinha criticando duramente o que chamava de abusos cometidos pela operação Lava Jato, cuja relatoria é do ministro.

Pessoas clinicamente sãs também saíram em defesa de Reinaldo em nome do estado de direito. O complicado colunista, por exemplo, comemorou a divulgação ilegal dos grampos feitos nas conversas de Lula no ano passado.

“Tive que tomar dois dramins para conseguir escrever um texto de apoio a este senhor que já chamou Laerte de ‘baranga’, ‘falsa senhora’ e ‘homem-mulher’, destila ódio antipetista entre seus leitores injuriando políticos adversários e se mete em arranca-rabos tão tristes quanto escatológicos com os ex-amigos Diogo Mainardi e Olavo de Carvalho”, escreveu um internauta.

Um grupo de jornalistas já entrou com uma ação contra Rodrigo Janot por tê-los feito defender o direito de expressão de Reinaldo Azevedo. “Aguentar aquela cavalgadura obrando asneiras faz parte do jogo, mas brigar para que ele fale mais é caso de danos morais contra nossa classe”, escreveu um jornalista.

M Zorzanelli

Sensacionalista em vídeo

Inscreva-se no nosso canal e não perca mais nenhum vídeo