Muito se diz que a primeira impressão é a que fica. Nos aplicativos de paquera, então, a primeira impressão é a única: se você não vai gosta do que vê, arrasta para a esquerda e nunca mais precisa vê-la.

Esse processo beneficia, e muito, um ex-atleta de alto rendimento que esculpiu seu corpo em anos e anos de treinos intensos. É o caso do medalhista de prata em salto com vara Sérgio Henrique.

Recém-solteiro, ele instalou os mais famosos apps que mostram as mulheres a fim de se relacionar que frequentam os mesmos lugares que ele ou vivem num raio de 10 quilômetros.

A quantidade de “matches” e encontros que ele consegue revoltou os homens que moram perto dele.

“O cara é uma máquina. Parece até que saiu da cadeia e não vê mulher há anos. Concorrência desleal”, diz um dos prejudicados.

Segundo informações, até o preço do aluguel em torno de onde Sergio mora caiu.

“Toda semana três ou quatro homens solteiros entregam as chaves, pagam multa e tudo para não terem que morar perto dele. O cara pega os matches todos para ele”, diz um corretor. “Eu mesmo não ganho um like no app há mais de dois meses.”

Para se ajudar ainda mais, Sergio Henrique deu entrevistas na revista Caras e no Glamurama para melhorar ainda mais seu desempenho. As fãs até criaram a hashtag #EssaPrataLaEmCasa.

Uma vida amorosa de dar inveja, né? Só que não!

O que as pessoas não sabem é que depois de flagrar sua mulher com um estagiário, SH voltou a morar com os pais aos 35 anos, está desempregado e definitivamente não tem sorte no amor.

Quer acompanhar essa história? Assista HOJE, às 21h30, a estreia da série Prata da Casa na FOX.