Enquanto os brasileiros correm atrás de postos de saúde que tenham a vacina contra a febre amarela, o presidente Michel Temer está tranquilo. Sua imunidade temporária, que o salva de processos da Lava-Jato, também o deixa livre da doença.

Jorge Hertal, coordenador de Estudos Epidemiológicos do Instituto Nupal, o Núcleo de Pesquisas da América Latina, diz que Temer não deveria se preocupar com a febre amarela, já que esta imunidade é temporária. Primeiro porque ele é idoso e velhos não devem tomar a vacina, mesmo que se achem jovens por serem casados com moças muito novas. Segundo, porque dificilmente os mosquitos transmissores da doença chegariam perto dele. “Medo, né?”, explica Hertal.

Ou seja: o presidente está livre da febre amarela, da Chicungunya e da dengue. Mas nós não estamos livres dele.