A guerra pela paternidade da Transposição do Rio São Francisco continua. Hoje, o presidente Michel Temer recuou e disse que a obra é do povo brasileiro. Durante a solenidade de inauguração de mais um trecho da obra, Temer afirmou jamais pensou em assumir a paternidade.

“Eu não quero a paternidade desta obra. Ninguém pode tê-la. A paternidade é do povo brasileiro e do povo nordestino. Vocês é que pagaram impostos ao longo do tempo, vocês é que permitiram que pudéssemos fazer grandes investimentos nessa obra, que cada vez mais está sendo festejada”, afirmou Temer.

Ontem, porém, não era essa a disposição do governo.

“Uma vez totalmente concluído, o projeto São Francisco garantirá a segurança hídrica de 12 milhões de pessoas no Nordeste. A conclusão do Eixo Leste significa o fecho de mais uma obra que se havia iniciado no passado”, anunciou o porta-voz da Presidência, embaixador Alexandre Parola.

A obra começou ainda no primeiro governo Lula, em 2007. O apresentador Ratinho já convidou Lula e Temer para fazer o exame de DNA em seu programa. A oposição diz que a Transposição é a única coisa que Lula assume ser dele.