A saída do ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha pode ter relação com a confissão do amigo de Temer, José Yunes. Um dia depois de Yunes confessar que recebeu um pacote da Odebrecht a pedido do ministro, Padilha saiu do governo. Amigo de Temer há mais de 50 anos, Yunes disse que não abriu o pacote e não sabia o que tinha dentro dele. Yunes será o novo colunista do Sensacionalista depois dessa afirmação.

O nome do empresário começou a aparecer depois que Eduardo Cunha perguntou se ele já havia recebido algo em nome do PMDB e de Temer. A pergunta, entretanto, não foi permitida pelo juiz Sérgio Moro, sob alegação de que Temer não estava sendo investigado. O empresário procurou o ministério público e disse que recebeu um pacote mas que foi uma “mula inocente”. Ele responsabilizou Padilha. Em delação premiada, a Odebrecht já disse que pagou R$ 10 milhões ao PMDB.

Lula se divertiu com a notícia: “Agora Yunes não vai poder dizer que o dinheiro era do amigo”.