Lilian do Couto, 33 anos, professora primária em São Paulo, entrou com pedido de divórcio na Vara de Família. Casada há sete anos, ela se revoltou depois que seu marido, Walter, de 35, quebrou boa parte da decoração de sua casa – incluindo um vaso de porcelana raro que tinha sido de sua bisavó. Tudo aconteceu quando ele saiu do quarto do casal para beber água e, em vez de virar à direita para a cozinha, virou à esquerda e esbarrou em uma estante presa na parede.

Walter é motorista da Uber.

“Moramos na mesma casa há cinco anos. Como ele foi errar?”, reclamou Lilian, que inclusive abriu mão de pensão e sua parte no apartamento para poder facilitar o andamento do processo. “Não sei como alguém pode ser assim”.

Lilian desconfia, inclusive, que esse probleminha de Walter com a direção seja a causa de até hoje eles não terem filhos.