Santo faz milagre, mas quem disse que bispo não faz? Prefeito do Rio há apenas dois meses, o bispo da Universal Marcelo Crivella já fez seu primeiro. Boa parte dos cariocas já sente saudade de Eduardo Paes, um prefeito que se envolveu com pessoas erradas e com fama de boquirroto. Mas quem sem lembra que ele era BFF de Sergio Cabral e que ofendeu o povo por aí diante de um prefeito que nomeia filhos e amigas da mulher para cargos públicos e vai viajar para Israel em pleno carnaval – a festa mais importante da cidade?

Paes pelo menos fez uma olimpíada bonita, saia nas baterias das escolas de samba e chegou a transferir seu gabinete para Madureira, de onde despachava perto da Portela. Perto de Crivella, ele era uma maravilha. Afinal, em terra de cego, quem tem olho é rei.

Crivella não quer nem passar a chave da cidade para o Rei Momo, como é a tradição do carnaval. Já avisou que vai deixar a chave dentro de uma vasinho que fica à esquerda do portão de casa. O Momo que pegue e entre.