Com o afastamento de Renan Calheiros da presidência do Senado, roteiristas de todo o país entraram em greve. A saída de Renan deu ao senador Jorge Vianna, do PT, o comando da Casa e, caso o presidente Michel Temer e o presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia saiam do país, o PT assumirá novamente a presidência do Brasil, fazendo dessa a maior reviravolta da política nacional e da dramaturgia mundial.

De acordo com a ABRA, a Associação Brasileira de Roteiristas, está cada vez mais difícil produzir conteúdo inédito e original no Brasil e as reviravoltas da política nacional têm feito com que eles trabalhem exaustivamente e, ainda assim, acabem sendo superados pela realidade diariamente.

“Quando temos uma ideia e começamos a trabalhar em cima dela, rapidamente algo novo acontece em Brasília e nosso roteiro já ficou velho, ultrapassado. Não existe nenhum plot que tenhamos pensado que já não tenha acontecido mil vezes melhor na vida real. Assim não dá!” disse o porta-voz da associação.

Roteiristas de outros países já estão a caminho do Brasil para se juntar aos roteiristas brasileiros em solidariedade. De acordo com eles, nossa política tem atrapalhado roteiros por todo o mundo e, por mais que se esforcem, nada parece ser atrativo o suficiente para prender a atenção do telespectador.