Após receber, junto com o Congresso, várias críticas pelas alterações no chamado “pacote de medidas anticorrupção”, o presidente Michel Temer convocou uma coletiva para revelar a verdadeira razão por trás das modificações sugeridas. Testar se o brasileiro “tava ligado”.

“É tudo um grande plano para ver se o brasileiro está mesmo de olho no que a gente faz”, garantiu o presidente. “Isso de fazer votação de madrugada? É para aumentar a dificuldade. Mas vocês passaram, vocês bateram panela, eu, Renan, Marcela, Michelzinho, estamos todos muito orgulhosos, nota 10 para vocês do Brasil, parabéns!”

Mas fontes próximas ao governo informam que não vai parar por aí. O nível do teste deve apenas subir, com medidas sendo votadas cada vez mais na calada da noite, durante jogos de futebol, em horário de final de Masterchef ou mesmo após um pronunciamento em rede nacional onde Michel Temer apenas aponta “gente, olha lá!” e os congressistas realizam a votação na direção contrária àquela que ele apontou. Claramente o brasileiro ainda vai ser muito testado até 2018.