O ministro da Educação de Temer, Medonça Filho, recebeu das mãos do ator Alexandre Frota uma pasta com propostas para as escolas brasileiras. Intitulado “Escola sem Partido”, o projeto previa o fim do que chamava de “doutrinação ideológica” dos jovens. Frota pediu ao ministro que levasse as propostas a Temer.

O projeto finalmente começou a dar frutos na forma de uma medida provisória proposta por Michel Temer na tarde de hoje. Ela propõe o fim da obrigatoriedade do ensino das disciplinas filosofia e sociologia no ensino médio.

A MP, cuja redação foi aprovada por Alexandre Frota, prevê ainda aulas práticas inspiradas na trajetória do ídolo da produtora Brasileirinhas.

“Brother, vai ter que ter coisa útil para o jovem, senão a porrada vai comer aqui”, diz o texto da proposta. “Vai ter que ter professor ensinando a fazer filme pornô, chega de nude mal iluminada, de jovem vazando vídeo sem resolução. Tem que ter técnica. E vai ter aula ensinando a tomar bomba. Nada mais de gente tomando injeção de cavalo e confundindo Winstrol com Durateston.”

Frota vai treinar os professores pessoalmente. O investimento federal será de 4 bilhões de reais. “Peço que depositem não na conta da minha empresa, que está com problema, é só depositar na pessoa física do meu amigo aqui que é do Revoltados Online que está beleza. Não precisa desse negócio de nota, não.”

Temer também quer que as quatro horas extras colocadas na carga horária sejam usadas para ensinar os alunos a apertar os botões 1 e 5 da urna eletrônica e o botão verde para confirmar.

M Zorzanelli