O juiz Sergio Moro autorizou a devolução do passaporte de Cláudia Cruz, jornalista e esposa do deputado federal afastado Eduardo Cunha, que havia sido entregue ao MPF pela própria defesa de Cláudia, na ação movida contra ela na Operação Lava Jato.

Moro decidiu na tarde de ontem que o passaporte deveria ser devolvido, pediu desculpas pelo incômodo e disse entender que, para Cláudia Cruz, poder viajar para o exterior e fazer compras é uma necessidade básica.

“Louboutins e bolsas de grife no Brasil custam muito mais caro e ela precisa manter o seu alto padrão de vida após o congelamento de seus bens. ” disse Moro.

Questionado sobre o endereço para devolução do passaporte, já que a justiça afirmava não saber o endereço de Cláudia Cruz para lhe enviar uma intimação, o juiz pareceu confuso.

“Mas uma coisa tem a ver com a outra? Como assim ela é esposa de Eduardo Cunha? Ninguém me passou essa informação” afirmou.

Para garantir que o inconveniente gerado pela apreensão do passaporte fique no passado, Moro ainda transferiu todas as suas milhas para Cláudia Cruz, como forma de se retratar. Sobre a possibilidade de Cláudia fugir do país, o juiz disse que ela já possui o número de seu WhatsApp e que jurou mandar um áudio quando decidir viajar, além de selfies nos pontos turísticos das cidades por onde passar para provar sua localização.