A adolescente Ana Gomes, de 15 anos, saiu cedo da prova nesta sexta-feira e aproveitou que o pátio ainda estava vazio para fazer algo que queria fazer há muito tempo. Jogou seu celular no chão de pedra da escola. A tela se quebrou. Ana sorriu, feliz. O motivo: todos os seus amigos estão com a tela do celular quebrada. Ela era a única que ainda mantinha o visor intacto – e já começava a sofrer bullying por isso.

Quando os amigos saíram da prova, ela mostrou o celular, orgulhosa – e rapidamente foi chamada para duas festas no fim de semana. Em casa, forçou um choro para a mãe e, como boa filha, disse que não precisava trocar, que ela era culpada e poderia ficar com a tela quebrada mesmo.

A tela quebrada é uma das maiores certezas de quem tem celular. Mais do que ter sinal ou não travar. Algumas empresas já estão de olho nesse nicho e estão lançando celulares que já vêm com a tela quebrada, para evitar frustrações. Veja aqui