O ex-senador Eduardo Suplicy, de 75 anos, foi preso na manhã de hoje em São Paulo enquanto protestava contra a reintegração de posse na ocupação Serra Pelada, zona oeste da cidade. A área, pertencente à Prefeitura de São Paulo, abriga 350 famílias.

Suplicy deitou-se no chão junto a moradores e acabou sendo levado contra sua vontade por quatro policiais militares. Ele foi detido sob acusação de desobediência e obstrução à Justiça. Confira o vídeo:

Suplicy foi detido e levado para ao 75º DP. Durante a triagem, um sargento se confundiu ao saber que o camburão trazia um petista.

“Manda para Curitiba, é com eles lá”, teria dito o sargento. Ao ser esclarecido que se tratava de Eduardo Suplicy, preso num protesto de cunho social, os policiais não souberam o que fazer.

Um coronel ligou para o pai, ex-militar, para saber o que fazer com presos do PT que não foram presos por corrupção. O pai do coronel, que participou da prisão de Lula na Ditadura, “deu algumas ideias”, mas não dava para colocar em prática, disse uma fonte.

No diretório do PT em São Paulo, a notícia foi recebida com festa. “É o primeiro petista a ser preso agindo de acordo com os princípios da fundação do partido desde os anos 80”, comemorou o presidente Rui Falcão. “Não me lembro a última vez que um petista foi preso por defender um pobre.” Perguntado se o partido disponibilizaria advogados para Suplicy, Falcão retrucou: “Infelizmente, só conseguimos liberar advogado quando os 10% de propina do crime deixaram mais de 1 milhão nos cofres do partido. Regras são regras.”

M Zorzanelli