A febre do aplicativo Pokémon Go continua alta — e sem remédio a não ser sair para a rua e capturar os adoráveis monstrinhos.

O game de celular ainda nao chegou ao Brasil mas já causa repercussão. O prefeito do Rio, Eduardo Paes, deu uma declaração dizendo que a cidade está com poucas tragédias e precisa de mais. Por isso, pediu que a Nintendo coloque o app para funcionar na olimpíada.

“Temos poucos casos de pessoas se enganando, subindo a favela sem querer e levando tiro. Com esse app que faz as pessoas andarem sem destino misturado a turistas que não conhecem as zonas violentas, esperamos bater o recorde de 50 cadáveres estrangeiros por dia de provas”, disse Paes. “Se nos EUA as pessoas jogam Pokémon Go e acham corpos, aqui elas próprias serão os cadáveres”, completou, empolgado.

Em Brasília, o jogo também saiu das telas de celulares e foi parar nas tribunas e plenários.

O ministro Gilmar Mendes propôs hoje que a captura de um Pokémon inspirado no tucano seja proibida em todo território nacional. “Não podemos abrir esse perigoso precedente”, disse Gilmar sobre o Pokémon chamado Aécioauro. “Vai que algum agente da PF vê o filho jogando e tem ideias erradas.”

M Zorzanelli