O aplicativo de efeitos especiais para fotografias Prisma foi lançado em junho, mas só agora agradou em cheio – tanto que, nos últimos dias, há relatos de pessoas que abandonaram seus trabalhos, esqueceram filhos na escola e deixaram de ir a eventos importantes por não conseguir parar de transformar as fotos. Os filtros, que fazem as fotos ficarem com jeito de obra de Van Gogh, Picasso e Munch, enlouqueceram os usuários, que agora se assemelham a usuários de drogas.

Os relatos de pessoas viciadas fizeram psiquiatras de São Paulo se unirem para abrir, em caráter urgente, nesta segunda-feira, a primeira clínica de reabilitação para adictos em Prisma. O primeiro passo será o total afastamento do celular. O segundo, o oferecimento de tinta e pincel, para que eles possam tentar fazer suas próprias obras e perceberem que há um mundo entre eles e Van Gogh.

A fila para a clínica já é grande. Haverá um forte esquema de segurança.