O lançamento do filme “Procurando Dory”, animação da Pixar, que dá continuidade à história de “Procurando Nemo”, tem levado seu público-alvo ao delírio. E não estamos falando das crianças. O filme que conta a história de uma peixinha azul que tem uma péssima memória, está sendo esperado desde 2003 pelos adultos de hoje que aprenderam a falar baleiês com Dory e que entoaram o cântico “continue a nadar, continue a nadar…” para superar as adversidades ao longo dos últimos treze anos.

Pais que não tem com quem deixar seus filhos enquanto se divertem no cinema, levaram seus filhos para a pré-estreia do filme, porém compraram ingressos para as crianças na sessão de “Invocação do Mal 2” na sala ao lado. Desse jeito, conseguirão assistir ao filme sossegados.

“Eu estou esperando por esse filme desde os meus 15 anos! Não posso deixar essa pirralha me atrapalhar. Ela nem era nascida quando o primeiro filme saiu, não vai entender nada mesmo. Depois eu compro o blu-ray se ela fizer questão” disse Vanessa dos Reis, mãe de Natália, 6 anos.

Questionado sobre a classificação indicativa do filme de terror no Brasil, que é de 14 anos, Leonardo Oliveira, pai do Rafael de 8 anos, respondeu:

“Criança nessa idade não tem mais medo de espírito não, criança nessa idade tem medo de acabar a bateria do iPhone. Ele é super maduro pra idade dele, ontem mesmo me fez café, enquanto eu virava a noite na internet tentando comprar os ingressos do filme” disse enquanto levava o filho até a porta da sala 8, onde “Invocação do Mal 2” seria exibido.